Arquivo da categoria ‘Crise Mundial’

182457_90464

Com o fechamento da ultima quinta feira  de abril com alta de  1,2% a bovespa acumula no mês de abril ótimos resultados, uma valorizaçao superior a 16%.

Os bancos voltam a dar crédito com taxas um pouco melhores, as empresas voltam a pegar emprestimos para investimentos e tomam folego para os próximos meses.

Os consumidores respondem ao governo com compras recordes de automóveis e eletroeletronicos.

Nos Estados Unidos alguns indices começam a subir,  alguns superiores a 10%, como o S&P 500.  Os preços dos imóveis voltaram a subir por dois meses seguidos, o que não ocorria ha dois anos.

Na China , as montadoras venderam  em março 10% mais carros que no mesmo mês do ano passado

Será que o pior já passou?  Seriam indícios de uma recuperação?

Especialistas dizem que há sim sinais promissores, sinais que podem ser considerados como uma  grande esperança, porém ainda requer cautela, isso significa que sairemos do crescimento negativo para algum nivel de crescimento no final de 2009.

Realmente o ano continuará dificil,  o Brasil enfrenta uma brusca desaceleração, com efeitos como o aumento do desemprego,  mas surgem sinais de que o consumo interno, elemento chave para estabilizaçao de paises emergentes, está se aquecendo. O crédito ao consumidor também voltou, quase ao nível de setembro, as exportaçoes também  dão motivos para esperança.

Precisamos acreditar, precisamos ter fé e trabalhar muito, e não será gripe suina nenhuma que afetará essa retomada, nem de perto, nem de longe,  afinal somos brasileiros e o brasileiro não desiste nunca…

Aproveito para parabenizar a todos os trabalhadores pelo dia de hoje..

Li um artigo muito interessante, que vale a pena compartilhar, ele diz respeito a crise, vou tentar resumir um pouco:
“Crise, parece que o mundo esta desmoronando, para onde olhamos vemos noticias de demissões, bilhoes de dolares para salvar bancos e empresas, um verdadeiro caos, será que é o final dos tempos? Será que o presidente Obama conseguirá salvar o mundo do momento derradeiro? Será que estamos vivendo uma profunda transformação da humanidade, finalmente a entrada de uma nova era? Muitos dizem que o mundo não será mais o mesmo depois da crise. Empresas por medo, deixam de comprar, deixam de investir, há um temor da perda de emprego e em consequencia a crise aumenta. Economistas e executivos de grandes organizações profetizam que ” crise aumentará e muito”. Apesar de todos esses cenários sombrios, percebe-se que ainda há soluções. Em uma outra reportagem publicada , o Presidente de uma empresa, em função de resultados obtidos pela mesma no inicio deste ano, reuniu seus executivos e os proibiu de falar em crise. Para ele ” crise ” é igual a muleta e tem sido muito usada como desculpa para não atingir as metas. O que esse executivo prega é a mudança de foco da crise para a OPORTUNIDADE. Nós brasileiros, somos preparados e experientes para sair de crises, já os americanos, europeus e asiáticos, por não term tido crises há muito tempo, não sabem como lidar com elas.
Esta nova crise, seguramente testará a capacidade das empresas, seus sistemas de gestão, valores, forma de lidar com o mercado, estratégias e visão sobre o cliente.
O cliente é a razão da existencia das empresas, e todas as empresas estão ou deveriam estar voltadas para eles, desde o mais simples comercio ou serviço até as organizações mais sofisticadas tem o mesmo objetivo, atender as necessidades do cliente. Necessidades todos temos e podemos adiar uma ou outra, mas não todas , e assim sendo continuaremos a consumir, até mesmo o que é considerado supérfluo. Para tal as empresas precisam desenvolver novas estratégias para atuar em um cenário econômico que será muito diferente daqui pra frente, um cenário de consumo muito mais consciente, talvez haja um limite para o consumo, o que antes parecia não haver. Se considerarmos as questões ambientais, sustentabilidade, recursos naturais, a equação torna-se ainda mais complexa.
Até que um produto chegue nas mão de um consumidor, há uma cadeia formada por fornecedores, transformadores, transportadores, prestadores de serviços e revendedores dos mais diferentes tipos e tamanhos e há diferentes formas de relacionamento entre as empresas. Há empresas que olham apenas para o seu lucro, de forma predatória, há empresas que já mudaram a postura e atuam na construção de uma rede de parceiros, com relações de confiança.Muitas dessas empresas já perceberam que a sua atuação influencia na ação dos demais agentes, o que facilita o acesso ao consumidor e ao produto.
Até mesmo os concorrentes podem agir de forma diferente, menos predatória, que ajude a preservar os mercados nos quais atuam e assim beneficiar o consumidor.
Os desafios foram lançados, não podemos mais esperar que nos salvem. Temos todos que arregaçar as mangas e entrarmos juntos nessa briga.”

Realmente a coisa continua preta no ambito mundial, mais uma das grandes informando cortes para poder se manter no mercado..
Acredito que seja de uma forma geral aqui no Brasil , que as empresas tenham obtido quedas significativas nos resultados do primeiro trimestre. Todos apostam nesse segundo trimestre, com expectativas de um reaquecimento na economia e nos mercados de uma forma geral.
Enquanto isso, todos precisam se concientizar que é hora de arrumar a casa, evitar desperdicios, reduzir despesas, ser criativo, aproveitando as oportunidades, investindo em diferenciais que agregam valor à seus clientes, mas diferenciais economicamente viaveis, socialmente justo, ecologicamente correto e culturalmente aceito, diferenciais sustentáveis, esse é o caminho.