Arquivo da categoria ‘Carreira’

Coaching

Publicado: maio 3, 2010 em Carreira
Tags:, , , ,

Durante essa semana tive a oportunidade de trocar idéias sobre coaching e seus benefícios, conceito,  à quem é aplicado e aonde.

Depois de ler e conversar a respeito vou compartilhar com os amigos e leitores algumas informações captadas de um processo continuado de aperfeiçoamento e superação pessoal e profissional.

O coaching é um instrumento cada vez mais consagrado e aplicado no mundo empresarial, surgindo como resposta às crescentes e cada vez mais complexas solicitações sobre os gestores de topo e sobre as organizações modernas, nomeada e respectivamente, maior capacidade de liderança e de aprendizagem. 57% das empresas mais admiradas da Fortune 500 beneficiaram-se com as vantagens trazidas pelo coaching.

Os principais e mais reputados líderes empresariais mundiais utilizam coaches externos (coaching individual) e promovem contextos organizacionais propícios ao coaching (coaching contextual). São cada vez mais os executivos que consideram o coaching no seu devido lugar, ou seja, como um processo de obtenção de melhores resultados através da melhor realização do potencial do próprio executivo e como instrumento de superação pessoal, e não como um indiciador de dificuldades de gestão.

 O que é o coaching?

  • O Coaching é uma parceria entre o coach e o cliente para que este atinja seus objetivos, viva seus valores e alcance o máximo do seu potencial.
  • O Coaching faz com que a pessoa seja consciente do que está fazendo com sua vida, mostra novas opções e conduz à mudança

 Conceito?

  • O Coaching  libera o potencial do indivíduo para que este maximize seu desempenho e faça o que antes acreditava impossível.
  • “Nosso principal objetivo é encontrar alguém que nos motive a fazer tudo que somos capazes.”

 Tipos de Coaching:

  • Coaching Executivo
  • Coaching Negócios
  • Coaching Carreira
  • Coaching Esportes
  • Coaching Pessoal

 O Coaching Executivo é uma das ferramentas empresariais mais poderosas e de custo-benefício dirigindo os recursos precisamente para onde e para quem sejam necessários. Abrange e é aplicado ao nível Gerencial e Executivo da Empresa.

Os coaches de negócios fazem sessões de coaching com as pessoas no seu ambiente de trabalho para aprimorar aspectos profissionais. Normalmente, eles trabalham com gerentes dentro da empresa e também com as equipes. O Coaching é um prosseguimento crucial ao treinamento de negócios. Muitos treinamentos não causam os resultados benéficos esperados por causa da falta de apoio às pessoas no seu ambiente de trabalho depois dos treinamentos.

O Coaching Carreira é aplicado à pessoas que querem encontrar um trabalho, mudar de carreira, expandir perspectivas na carreira em desenvolvimento ou voltar ao mercado de trabalho.

Em geral, os coaches trabalham juntamente com uma agência de recolocação de executivos. O planejamento de carreira também é uma parte importante do coaching de vida e de negócios.

O Coaching esportes visa desenvolver técnicas para aumento da concentração e do equilíbrio emocional e estuda formas para melhorar o desempenho físico e técnico.            O Coaching pessoal estimula a tomada de consciência do potencial latente que já existe dentro de você promovendo o reconhecimento da suas virtudes e aspectos a serem trabalhados.

Aumentando sua segurança através da minimização dos conflitos internos.
Melhorando sua motivação e capacidade de comunicação.
Ampliando seu estado de alegria e felicidade nas relações interpessoais.

 O Coaching é adequado para quem?  

  • Indivíduos fundamentais na empresa que precisam de ajuda para tirar o máximo do seu talento nos negócios.
  • Gerentes que precisam melhorar sua comunicação e suas técnicas de gestão.
  • Complementar treinamentos que não foram suficientemente eficazes, para o qual os participantes necessitam de apoio contínuo no seu trabalho.
  • Um executivo que queira esclarecer suas metas e a visão da sua empresa, ou tem de tomar decisões difíceis e quer discuti-las com um profissional capacitado.
  • Uma equipe de gestão que precisa se desempenhar melhor.
  • Um gerente importante que tem problemas com sua equipe ou com outros gerentes.
  • Uma equipe que tenha problemas no seu trabalho e no que diz respeito à definição e enfoque de metas.
  • Um novo gerente que precisa de ajuda no seu novo trabalho.

O coaching é  um processo que abrange toda organização precisamente de acordo com suas  diferentes necessidades de atuação. Em resumo pretende-se que a soma das varias interações de coaching contribua para três resultados que impulsionam as mudanças.O Beneficio pessoal, a ação coletiva, e seqüências de sucesso, onde a mudança é constantemente reforçada por resultados concretos.

Boa semana a todos e muito sucesso.

Em busca de assuntos para o post dessa semana, li artigos interessantíssimos sobre competências que devem ser desenvolvidas  e praticadas pelas empresas e seus profissionais que pretendem se destacar junto a seus clientes e mercado de trabalho. Segue um resumo:

Proatividade: O que é proatividade?

O conceito esta na moda na direção das empresas. Espera-se que os diretores e gerentes sejam proativos e também que as empresas construam seus futuros de forma proativa. Este conceito tem diversos sentidos, como outros tantos  termos que recentemente estão sendo introduzidos ao vocabulário do mundo empresarial e que não se encontram no dicionário.

Algumas definições de proatividade:

Steven Covey considera que a essência da pessoa proativa seja a capacidade de liderar sua própria vida. À margem do que passe a seu redor, a pessoa proativa decide como quer reagir diante desses estímulos e concentra seus esforços em seu círculo de influência, ou seja, se dedica àquelas coisas com relação as quais se pode fazer algo. Para Covey, a proatividade não significa somente tomar a iniciativa, mas assumir a responsabilidade de fazer com que as coisas aconteçam; decidir em cada momento o que queremos fazer e como vamos fazer.

Ralf Schwarzer sustenta que o comportamento proativo seja a crença das pessoas em seu potencial para benefício próprio, de sua situação e de tudo ao seu redor. As pessoas que se orientam por esse comportamento antecipam ou detectam possíveis situações de stress e atuam para evitá-los. Segundo esta definição, a proatividade está diretamente relacionada à sensação de controle e auto-eficácia. As pessoas que se consideram eficazes, que pensam que podem controlar a situação e solucionar seus problemas, têm mais facilidade para empreender a ação.

Para Bateman e Crant, a proatividade supõe criar mudanças, não apenas antecipá-las. Segundo estes autores, ser proativo não consiste unicamente em ter flexibilidade e condição de adaptação com um futuro incerto, mas que é preciso tomar a iniciativa para melhorar um negócio.

Pesquisas mostraram que o comportamento proativo está diretamente relacionado ao sucesso profissional, tem conseqüências positivas tanto para os empregados quanto para as organizações.

Porém, foi constatado que o impacto positivo está relacionado àqueles empregados capazes de encontrar soluções para os problemas, já os que apenas desafiam o status, mas que não oferecem soluções, podem experimentar resultados negativos.

Pelo resultado de entrevistas realizadas com empreendedores e presidentes de diferentes empresas americanas, européias e asiáticas, foi constatado que as pessoas proativas se caracterizam pelo seguinte:

  1. Estão buscando continuamente novas oportunidades.
  2. Marcam objetivos efetivos orientados às mudanças.
  3. Antecipam e prevêem problemas ( mas, propõem soluções)
  4. Desenvolvem atividades diferentes ou atuam de forma diferente.
  5. Empreendem a ação e se aventuram apesar da incerteza.
  6. São perseverantes e esforçadas.
  7. Conseguem resultados perceptíveis, já que estão orientadas a resultados.

O Comportamento proativo, conforme todos os estudos é um fator determinante para competir e sobreviver em um ambiente tão competitivo como o atual. As empresas buscam profissionais flexíveis que se adaptem ao inesperado e que saibam questionar a incerteza.

Para obter sucesso no mercado de trabalho atual é preciso ser um agente ativo de mudanças, ter iniciativa, flexibilidade e saber enfrentar a incerteza. A pessoa proativa não espera que os demais tomem decisões por ela; atua com determinação, antecipando problemas, vai a campos operacionais e acredita constantemente em novas oportunidades.

Não se engane atribuindo a responsabilidade de nossos problemas unicamente a agentes externos ou a pressão do ambiente. Temos a responsabilidade de escolher nossas próprias respostas e direcionar as ações de forma inteligente e positiva.

Ser proativo não consiste unicamente em propor idéias ou fazer reestruturações para perceber a realidade de outra maneira, tem que estar focado a resultados. Ser proativo é também ser capaz de transformar idéias em ações para obter resultados.

Para essa semana e para sua carreira profissional a dica é: Seja proativo e flexível, focado a resultados e o sucesso será uma conseqüência.

Esse final de semana li uma matéria muito bacana sobre a rotina de um dia na vida de 5 presidentes de grandes empresas. Dessa leitura tiro algumas lições que repasso aos amigos:

Todos os presidentes  citados na matéria incluem em sua rotina algumas horas de atividade física, por semana, como corrida ou academia para manter a saúde, agüentar o seu ritmo diário e ter pique para seus desafios e jornadas de trabalho.

Aprender na pratica. Os melhores gestores não nascem numa sala de MBA, por que não dá para ensinar gestão na escola. O MBA convencional faz um bom trabalho ao ensinar as funções de negócios, mas pouco para aprimorar a prática da gestão.

Contato.Todos eles tem em suas rotinas contatos verbais com diretores e colaboradores em geral andando pela empresa e pelos andares.

Todas as suas conversas com os colaboradores são rápidas e geralmente conclusivas.

Todos são extremamente objetivos em suas reuniões, controlam o tempo e são muito focados.

Todos tem suas agendas muito bem planejadas por suas secretárias e seguem a risca os horários.

Gestores monitoram o ambiente e sabem tudo o que se passa ao redor – se fizerem seu trabalho direito.

O desenvolvimento gerencial tem de ser uma questão de compromisso: com o trabalho, as pessoas e o propósito, mas também com a organização e as comunidades.

A liderança é conquistada e aprendida, nunca vem de bandeja.

Gestores passam uma boa parte do tempo ajudando a extrair de quem se reporta a eles um comportamento mais eficaz: motivando, apoiando, dando poder.  No papel de lideres, ajudam a liberar a energia que existe nas pessoas.

Gestores tem de afiar sua capacidade de refletir, precisam encontrar tempo para dar um passo atrás quando necessário. Reflexão sem ação pode ser passiva, mas ação sem reflexão pode ser imprudência. Grandes atletas vêem o jogo um pouco mais devagar que os outros jogadores e, então, são capazes de fazer uma jogada de ultimo segundo.

Executivos gastam em média 40% de seu tempo simplesmente se comunicando, mais precisamente, coletando e disseminando informação.

Para completar,  segue uma dica de um livro mencionado no artigo chamado Managing – Desvendando o dia a dia da gestão. De Henry Mintzberg, que será lançado neste mês no Brasil, pela editora Bookman. O Guru Henry Mintzberg  durante cinco anos, acompanhou presidentes de empresas, banqueiros, produtores de cinema, varejistas e funcionários públicos para ver de perto como trabalham e o que é possível aprender com rotinas tão diferentes.  Acredito que deve ser uma fantástica leitura e aprendizado.

Boa semana a todos !

Essa semana vou compartilhar com os amigos leitores do meu blog  um texto que achei muito bacana sobre motivação profissional,  algumas dicas fundamentais para se tornar reconhecido e valorizado, obtendo assim a realização profissional.

Por Wagner Campos

Certamente isso já fez parte de sua vida ou você já presenciou situações em que apesar de fazer tudo certo, alguém que tinha a mesma função dentro da empresa e exercia as mesmas atividades ou responsabilidades foi promovido, conseguiu aumentos salariais e freqüentemente é citado como exemplo, enquanto você nem ao menos é lembrado, e às vezes sente-se desvalorizado e sem reconhecimento.

Sinto-me na obrigação de dizer que o grande culpado por isso tudo pode ser você mesmo. Exceções à parte, o que provavelmente esteja ocorrendo é a falta de seu marketing pessoal. E o que é isso?

Quando falamos de um produto, sabemos que existem esforços para que ele seja notado, apreciado e adquirido. São os esforços de marketing. Meios que visam potencializar as vendas dos produtos, utilizando a divulgação através da promoção, propaganda, embalagem etc.

O marketing pessoal é a mesma coisa, porém em benefício de sua própria carreira. É fazer-se notado! Não simplesmente ser notado, mas ser notado por suas qualidades, habilidades e competências. Não é ser o chamado “puxa- saco”.

Ser notado desnecessariamente e por suas “aparições” tolas é péssimo, uma vez que será lembrado, com freqüência, que não é um bom profissional. Neste caso, aquele ditado: “falem mal, mas falem de mim” não é um bom lema, uma vez que falar mal significa comentar que você não é a pessoa ou o profissional ideal.

Então, o que devemos fazer para termos um bom marketing pessoal e sermos reconhecidos e valorizados, obtendo assim o sucesso e a realização profissional?

Seguem algumas dicas:

1. Você deve ter liderança, desenvolvendo assim habilidades de influenciar pessoas e ser um formador de opinião.

2. Deve transmitir confiança aos seus chefes e companheiros de trabalho. Deve ser a pessoa que todos sabem que se algo precisa ser bem feito, tem que ser feito por você.

3. Precisa saber o que está fazendo e porque está fazendo. Fuja de fazer apenas algo que mandam fazer, sem saber do que se trata. Diferencie-se, torne-se um especialista em suas atividades e o motivo para a execução delas.

4. Saiba trabalhar em equipe e administrar conflitos. Mesmo que você tenha mais habilidades em determinadas atividades, colabore para o desenvolvimento de seus colegas de trabalho. Afinal, uma equipe coesa produz mais, melhor e com maior satisfação.

5. Saiba valorizar seu trabalho e apresente bons resultados. Tenha uma boa visibilidade. Sempre que tiver oportunidade, além dos resultados apresente seus projetos e idéias, mesmo que informalmente.

6. Seja uma pessoa otimista e bem-humorada. Ninguém gosta de rabugentos, aqueles profissionais cuja presença faz murchar até o pequeno cacto ao lado da mesa. Pessoas otimistas e bem humoradas proporcionam um ambiente agradável e irradiam bem- estar a todos à sua volta.

7.Faça um bom planejamento de onde pretende chegar. Qual situação que almeja profissionalmente, e tenha paciência. Tudo acontecerá ao seu tempo desde que, obviamente, você direcione seus esforços para realizar-se, conforme o planejado.

E lembre-se: se estiver participando de um processo seletivo ou de seu primeiro emprego através de um estágio, saiba o que você pode oferecer para a empresa. Não vá para aprender, mas para contribuir. A empresa quer resultados e não é uma escola. Com certeza você aprenderá muito na organização e obterá excelentes experiências, mas isso deverá ser conseqüência de seu trabalho e não apenas um processo de aprendizado.

*O autor é Especialista em Marketing. É Palestrante em Vendas, Motivação e Liderança. É Consultor de Empresas e Diretor da True Consultoria, mais informações no site http://www.trueconsultoria.com.br

922920_77791045

Final de semana chuvoso, com muitos esportes para acompanhar na televisão; F1; Jogos do campeonato brasileiro, torcida total pro Rubinho e pro “parmera”. Final de semana típico pra ficar em casa, ligado na TV.

Quando o tempo deu uma trégua, resolvi dar uma lavada no carro, tomar um café e comprar umas revistas pra me atualizar. Foi onde li uma matéria bem bacana sobre carreira que vale fazer um resumo pra compartilhar.

A matéria vai de encontro também ao blog, diga-se de passagem, estava com muitas idéias, mas faltava organizá-las , sentar e escrever, colocar em prática…no post e no dia a dia.

Uma das qualidades mais valorizadas pelo mercado atualmente, de acordo com a matéria que eu li, é a habilidade de dar vida aos próprios projetos, tirando-os do papel e transformando-os em novos produtos ou serviços.

Quanto mais pessoas com espírito empreendedor a empresa tiver, sentindo-se donas do negócio, mais bem posicionada a empresa estará no futuro.

A busca por empreendedores corporativos acontece em função da necessidade de inovar e se diferenciar num mercado global cada vez mais competitivo.

De acordo com especialistas, três em cada cinco empresas, nos próximos cinco anos, terão seu core business alterado e justamente os profissionais com perfil empreendedor é que serão os responsáveis em iniciar a companhia em novos projetos e nichos de atuação dando tranqüilidade aos negócios.

No Google, empreender é uma condição para virar um funcionário, como diz o presidente da empresa no Brasil.

Como identificar esse perfil?

Pelo constante questionamento, personalidade inquieta, energia empenhada nos projetos, empreendendo por conta própria ao longo da carreira, seja liderando projetos dentro ou fora da empresa.

Cada vez mais as empresas têm direcionado seus executivos de Rh para identificar, já na contratação, profissionais hábeis em combinar idéias com a capacidade de execução, duas habilidades comuns aos empreendedores.

Outro ponto analisado pelas empresas, nas entrevistas de emprego ou no dia a dia, são as situações em que o profissional foi capaz de quebrar regras, quão crítico e questionador ele é, quanto de risco é capaz de correr e que impactos teve nos ambientes por onde passou.

As atitudes tomadas no dia a dia, em diferentes contextos, dão o tom e mostram se a pessoa tem ou não competência para empreender.

Se de um lado temos as empresas que buscam por empreendedores, de outro temos as que não sabem lidar com eles, pois eles incomodam, quebram regras, questionam, criticam modelos tradicionais, e muitas vezes, geram conflitos políticos.

Outro obstáculo para disseminação da cultura empreendedora é a insegurança e a falta de preparo da liderança, pois muitas empresas não sabem administrar o desconforto causado pela atitude do intra-empreendedor e a cena mais comum é ver o funcionário animado, explicando uma nova idéia ao chefe e esse disparando argumentos para engavetar a iniciativa. Para que isso não aconteça:

1-      Questione as premissas da sua proposta

2-      Muna-se de informação quantitativa que valide suas premissas e ajudem a decidir se a empresa entra ou não no projeto

3-      Tenha em mãos uma expectativa de retorno de investimento, ainda que você não seja um expert, vale consultar o amigo de marketing

Desenvolver e libertar seu potencial empreendedor significa olhar criticamente para os produtos, processos e regras. Empreender é estar sempre de olho nas oportunidades, ter idéias, conseguir planejar e executá-las, mesmo que inspirando, mobilizando e sensibilizando outros profissionais. A capacidade de fazer uma idéia ganhar vida, mesmo sem verba é uma das características mais valorizadas nos empreendedores.

Boa semana para todos, vamos empreender e mãos a obra.