Arquivo de outubro, 2010

Dilma ou Serra?

Nessas ultima semanas fiz uma enquete sobre isso, inaugurando uma nova sessão de enquetes do blog.

O meu resultado não confere com as pesquisas do Datafolha, Ibope, ou qualquer outro instituto de pesquisa conhecido. Todos podem conferir no meu  blog o resultado.

O que realmente importa de tudo isso? O que todos devem ter em mente nesse dia tão importante para nossas vidas?

Que independente de pesquisa de opinião, todos devemos acreditar num pais melhor, temos que acreditar e ter a certeza  de que o voto é o único meio de tentarmos mudar alguma coisa.

Atitude, isso mesmo. Com um simples direito adquirido, o voto, você pode fazer a sua parte, votando no candidato com as melhores propostas e com a melhor intenção.

Pesquise seu candidato, veja seu passado, veja seu currículo, analise suas propostas. Não deixe de votar, independente de sua escolha.

Temos que fazer nossa parte, e votar de forma consciente, independente de pesquisas de opinião, de perspectivas, de tendências. Fazer nossa parte significa, não deixar de votar, termos o nosso próprio voto, o nosso próprio candidato a nossa própria opinião formada.

Espero que independente do candidato que se eleger tenhamos quatro anos de prosperidade e avanços importantes.  

E ao candidato que perder, nos resta torcer para que faça uma oposição descente,  sempre de forma construtiva, para um pais melhor.

Uma ótima semana a todos e não deixe de fazer a sua parte.

Ola pessoal, venho por meio deste sensacional meio de comunicação me desculpar e agradecer ao mesmo tempo.

Me desculpar pelo grandioso tempo sem escrever um post. Acho que meu ultimo post  sobre missão, visão e valores me deixou tão focado e motivado, que não queria mais tirá-lo da pagina inicial do blog, queria sempre deixá-lo a vista, com fácil acesso. Bom, achei outras formas de visualizá-lo frequentemente e rapidamente.

Agradecer pelos comentários recebidos, pelos acessos diarios, semanais e mensais que tem aumentado mes a mes e que me motivam a continuar escrevendo, dando dicas e compartilhando mensagens, frases, textos que considero importantes e interessantes.

Dessa forma, compartilho um texto do Gabriel Chalita como uma singela homenagem aos meus amigos, amigos reais e virtuais, os mais proximos e os distantes, os que encontro  frequentemente e os que encontro raramente, mas que de alguma forma estão em meus pensamentos, orações e coração.

“Há muito se diz que, quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro precioso. Há muito se diz que amizade verdadeira dura pra sempre. Não tem aquelas tempestades da paixão e nem a calmaria exagerada do descompromisso. É o meio termo. É a bonita sensação do estar perto e, de repente, deixar o silêncio chegar. Não exige tanto. Exige tudo.

As amizades nascem do acaso. Ou de alguma força que faz com que uma simples brincadeira, uma informação, um caderno emprestado, uma dor seja capaz de unir duas pessoas. E a cumplicidade vai ganhando corpo, e o desejo de estar junto vai aumentando, e, com ele, a sensação sempre boa do poder partilhar, de se doar.

Há muito se diz que os amigos verdadeiros são aqueles que se fazem presentes nos momentos mais difíceis da vida, naqueles momentos em que a dor parece querer superar o desejo de viver.

De fato, os amigos são necessários nesses momentos. Mas, talvez, a amizade maior seja aquela em que o amigo seja capaz de estar ao lado do outro nos momentos de glória, e vibrar com essa glória. Não ter inveja. Não querer destruir o troféu conquistado. Aplaudir e se fazer presente. Ser presente.

A amizade não obedece à ordem da proporcionalidade do merecimento. Não há sentido em querer de volta tudo o que com generosidade se distribuiu. A cobrança esmaga o espontâneo da amizade. E a surpresa alimenta o desejo de estar junto.

O amigo gosta de surpreender o outro com pequenos gestos. Coisas aqui e ali que roubam um sorriso, um abraço, um suspiro. E tudo puro, e tudo lindo.
Há muito se diz que não é possível viver sozinho. A jornada é penosa e, sem amparo, é difícil caminhar.

Juntos, os pássaros voam com mais tranquilidade. Juntas, as gaivotas revezam a liderança para que nem uma delas se canse demais.

Juntos, é possível aos golfinhos comentarem a beleza de um oceano infinito. Juntos, mulheres e homens partilham momentos inesquecíveis de uma natureza que não se cansa de surpreender.
Eu te peço, Senhor, nessa singela oração, que me dês a graça de ser fiel aos meus amigos. São poucos. E impossível seria que fossem muitos. São poucos, mas são preciosos. Eu te peço, Senhor, que me afastes do mal da inveja que traz consigo outros desvios. A fofoca. A terrível fofoca que humilha, que maltrata, que faz sofrer.

Eu te peço, Senhor, que o sucesso do outro me impulsione a construir o meu caminho, e que jamais eu tenha ânsia de querer atrapalhar a subida de meu amigo. Eu te peço, Senhor, a graça de ser leal. Que eu saiba ouvir sempre e saiba quando é necessário falar.

Senhor, sei que a regra de ouro da amizade consiste em não fazer ao amigo aquilo que eu não gostaria que ele me fizesse. E te peço que eu seja fiel a essa intenção. E sei que essa regra fará com que o que se diz há tanto tempo se realize na minha vida. Que eu tenha poucos amigos, mas amigos que permaneçam para sempre.

Não poderia ter muitos. Não teria tempo para cuidar de todos. E de amigo agente cuida. Amigo a gente acolhe, a gente ama.

Senhor, protege os meus amigos. Que, nessa linda jornada, consigamos conviver em harmonia. Que, nesse lindo espetáculo, possamos subir juntos ao palco. Sem protagonista.

Ou melhor, que todos sejam protagonistas, e que todos percebam a importância de estar ali. No palco. Na vida.

Obrigado, Senhor, pelo dom de viver e de conviver. Obrigado, Senhor, pelo dom de sentir e de manifestar o meu sentimento. Obrigado, Senhor, pela capacidade de amar, que é abundante e é sem-fim.”

 Texto de Gabriel Chalita

Que Deus proteja e ilumine todos os dias de suas vidas meus queridos amigos.